Cultura Organizacional: o diferencial que o dinheiro não compra

Publicado em , por: Equipe Talents Adtalem Brasil

O nosso Presidente e CEO, Carlos Filgueiras, deu-nos informações valiosas sobre cultura organizacional. Confira a seguir e aproveite!

Uma cultura organizacional bem estruturada é fundamental para o sucesso de uma empresa. O conjunto de valores que orientam sua atuação, as estratégias a serem seguidas e a missão do grupo, quando desenhados de modo coerente, promovem o senso de pertencimento dos colaboradores, seu engajamento na trajetória da corporação e uma identidade empresarial sólida perante o mercado. A cultura organizacional é a alma corporativa, a energia que mobiliza o ânimo do grupo para o êxito.

Durante minha vida profissional, entendi que uma cultura só é capaz de impulsionar o sucesso se for adequada à estratégia própria da empresa. Quantas vezes já ouvimos falar de um grupo de colaboradores que organiza um offsite, formulando um conjunto vago e generalista de afirmações que comporiam uma suposta cultura organizacional? Imprimem frases que traduzem a missão, a visão e os valores da empresa, afixam na parede, orgulhosos de terem construído juntos aquilo que é o DNA corporativo, um guia diário para o sucesso do negócio. Fazem isso sem, contudo, ter atingido o âmago do desafio: a criação de um modo de ser próprio para a empresa que a diferencie das demais.

E aqui vai o segredo: uma boa cultura organizacional se constrói de forma diferente, ela deve partir de uma análise minuciosa do ambiente competitivo, com foco na estratégia da organização e nas funções que devem ser bem desempenhadas. A escolha dos valores que estão na base da ação do grupo é um trabalho a ser desenvolvido pelo time mais estratégico de seus executivos, considerando uma visão global e complexa das qualidades e deficiências da corporação. Contudo, deve-se levar em conta a aderência dos valores definidos, com a cultura organizacional existente, estimando-se o esforço para um “de/para”.

Cultura organizacional não se compra com dinheiro, ela é fruto de uma vivência coletiva. Para dirigi-la, é preciso, antes de tudo, contar com a adesão e a confiança de seus colaboradores. Um perfeito alinhamento entre os valores e a missão de uma empresa constitui um de seus principais diferenciais. A sua cultura organizacional serve diretamente à estratégia? Ela é o caminho proposto para que os seus objetivos sejam alcançados? Os seus colaboradores e clientes acreditam nela? Se identificam?

Não existe “one size fits all” em matéria de escolha de valores. O ideal é identificar os valores específicos e adequados à realidade e necessidades de cada corporação. É comum encontrar equipes mencionando ética e excelência como valores de um grupo. Ética e excelência são antes pré-requisitos de uma boa atuação no mercado do que elementos de diferenciação ou identificação. Adequação é a palavra-chave em matéria de desenvolvimento de cultura organizacional. Valores gerais e abrangentes não servem para orientar a estratégia de ação de uma empresa. Por exemplo, imagine uma determinada companhia aérea que se proponha a desenvolver entre seus colaboradores o senso de cooperação e de família, fundado na ajuda mútua, como forma de atrair e engajar pessoas que passam a maior parte de suas vidas entre aeronaves e hotéis. Essa mesma cultura, se implantada em um banco de investimentos, que vive em um ambiente mais competitivo e agressivo, pode ser a fórmula do desastre.

Além de adequação, é preciso ter foco no engajamento. O bom resultado de uma cultura depende sobretudo da construção de um sistema apropriado de gestão de pessoas, que premie as ações alinhadas aos valores e à missão. Diariamente, somos convidados a atentar para o que é esperado de nós como comportamento. Entendo que falar sobre cultura organizacional não é se indagar apenas SE batemos as metas, mas COMO batemos as metas. Perceber que não somos apenas responsáveis por números, como líderes, somos também embaixadores de um conjunto de valores que falam, e muito alto, por nós e que, por isso, acreditamos neles.

Promoções e seleções de talentos devem, por isso, ser guiados pela cultura organizacional pretendida. Tenho percebido que os exemplos e os critérios utilizados por uma empresa para o reconhecimento de talentos são aprendidos em uma velocidade absurda por seus colaboradores. A premiação favorece o respeito à cultura, a sua internalização pelo grupo. Um colaborador que bate as suas metas à custa das crenças de uma organização pode gerar a ela danos imensuráveis no médio e longo prazos.

Um concorrente pode sempre se inspirar em você. Pode copiá-lo em tudo, na sua infraestrutura e até em sua propaganda. Pode, ainda, recrutar um colaborador eficiente, tentar descobrir a receita do seu sucesso. O que o concorrente não pode copiar é o modo de ser próprio da sua empresa, a sua cultura, a que você construiu ou está construindo, uma tarefa que leva tempo, energia e engajamento. Uma cultura organizacional bem desenhada e forte, unida a sistemas apropriados para o seu fortalecimento, fazem dos cartazes de valores nas paredes meros coadjuvantes para o sucesso de uma organização.

 

Carlos Degas Filgueiras

Presidente e CEO – Adtalem Educacional do Brasil

Not give a monkey`s dictionary definition be completely indifferent or unconcerned monkeys are often associated with mischief and defiance in english https://get-thesis.com/ maybe your little brother is monkeying around, or your friend`s a bit of a cheeky monkey.

Tags: